a noite é dos poetas das putas e dos que morrem de amor

meu coração está sobre a mesa
você passou e nem viu
como é estranha a solidão
eu posso sentir tudo e nada
uma multidão sem palavras

"Sou cobaia da vida,
um mero rato de laboratório
usado para fazer poesia.”
Otávio L. Azevedo. (via oxigenio-dapalavra)
©